O Caminho da Paz

Pregado na Igreja Presbiteriana Adonai, no dia 7 de julho de 2013, por Weinne Santos

Para ver o estudo completo, com contexto, análise de verbos, esboço analítico e estudo indutivo, clique aqui.

O lamento de Jeremias - 1630 - Rembrandt Van Rijn

O lamento de Jeremias – 1630 – Rembrandt Van Rijn

“Desde o menor até o maior, todos são gananciosos; profetas e sacerdotes igualmente, todos praticam o engano.
Eles tratam da ferida do meu povo como se não fosse grave. ‘Paz, paz’, dizem, quando não há paz alguma.
Ficarão eles envergonhados da sua conduta detestável? Não, eles não sentem vergonha alguma, nem mesmo sabem corar. Portanto, cairão entre os que caem; serão humilhados quando eu os castigar”, declara o Senhor.
Assim diz o Senhor: “Ponham-se nas encruzilhadas e olhem; perguntem pelos caminhos antigos, perguntem pelo bom caminho. Sigam-no e acharão descanso”. Mas vocês disseram: ‘Não seguiremos! ’
Coloquei sentinelas entre vocês e disse: Prestem atenção ao som da trombeta! Mas vocês disseram: ‘Não daremos atenção’.
Jeremias 6:13-17

Introdução: O que produz a verdadeira paz? Vemos os conflitos no eixo 10/40, a Primavera Árabe, a Primavera brasileira,, violência, destruição. A situação do mundo não está boa, e não podemos ignorar isso. Crianças morrendo de fome, cidades na Nigéria onde elas são vendidas como escravas sexuais na rua, escravidão infantil e de estrangeiros no Brasil, igrejas disputando a audiência dos haitianos. Conflitos, guerras, debates, ignorância e pobreza. Violência nas ruas e nas casas, e muitas soluções, desde educação a redução da maioridade penal. Por que vivemos em guerra? Será que Deus não deseja que vivamos em paz?

Trazendo pro pessoal, conflitos familiares, traumas de infância, brigas, stress, depressão, trabalho que ocupa nosso tempo que poderia ser voltado a relacionamentos com Deus e com os próximos. Parece não haver paz. Mas Deus não tem para nós pensamentos de paz, como diz em Jeremias 29?

E quando as coisas não vão bem, quando você mesmo não vai bem e está claramente trilhando um caminho errado, como faz pra ter paz? Quais são os pensamentos que você traz a tona, em sua mente, na sua busca por tranquilidade?

Proposição: Deus deseja deseja nos guiar num caminho de dependência dEle, enquanto o caminho dos profetas nos leva a nossos próprios desejos.

Veja as diferenças entre o caminho antigo, e os caminhos dos falsos profetas.

O caminho da Verdade traz paz. O caminho do engano leva a destruição.

Os falsos profetas mentiam. enganadores, desde a aparência de santidade. eram vendedores de falsa esperança. Os falsos profetas ofereciam uma falsa sensação de paz, em meio a guerra O povo continuava idólatra, e o juízo era iminente. A verdade virá a tona, a guerra chegará e a luz mostrará o que há de oculto

Confiança demasiada na religiosidade, mesmo com uma vida não-piedosa, linhas do “pensamento positivo” (confissão positiva), o suposto avivamento brasileiro, o silêncio dos justos em meio a injustiça

Precisamos ser verdadeiramente verdadeiros. precisamos olhar ao nosso redor e perceber que não há paz. isso nos levará a percebermos quem somos, e logo brotará em nós a humildade que nos leva ao arrependimento. Você é enganador? Você usa uma máscara de santidade? Você confia demasiadamente na religião, mas não abandona seus ídolos?

O caminho da humildade traz paz. O caminho da soberba leva a vergonha e humilhação.

Os falsos profetas eram soberbos e orgulhoso. Os falsos profetas não se envergonhavam, mas por fim serão humilhados.

Os fariseus, mesmo sabendo da identidade divina de Jesus, permaneciam em seus caminhos. Por fim, Jesus lhes foi pedra de tropeço.

Precisamos ter a perspectiva correta de quem somos e de quem Deus é. Precisamos entender que o verdadeiro arrependimento, a mudança de caminho, nos leva a humilhação sim, porém a glória futura, enquanto os que são hoje exaltados serão humilhados em seus caminhos. Seu coração é orgulhoso? Você reluta em abandonar seus caminhos?

O caminho dos antigos traz paz. Os caminhos da natureza pecaminosa nos leva ao juízo e a guerra.

O povo deseja fugir de Deus. O caminho de Deus requer verdade e humilhação, uma mudança no coração. O caminho dos antigos traz descanso, e o fim da guerra. Apesar de suas dificuldades, o caminho de Deus é o único onde você não trilhará sozinho. Deus promete sustento e descanso, Jesus oferece um fardo leve (Mt 11:29) para quem o seguir. O cristianismo é um caminho, nas pegadas de Jesus. O caminho dos antigos está disponível. Buscai e achareis! Se percebe que está num caminho longe de Deus, ainda que tenha ignorado o fato por tanto tempo, sempre é tempo para admitir sua incapacidade e clamar pela misericórdia de Deus.

Como no livro de Johnn Bunyan, O Peregrino, no caminho, você será sustentado. Eis o paradoxo. A história mostra que o caminhar com Deus é diário, é gradual, uma vida com lutas, porém há uma diferença abismal entre quem anda no caminho estreito e quem anda em seus próprios caminhos: quem escolhe o caminho de Deus é sustentado.

O cristianismo não é um lugar, um ritual, uma denominação ou religião. É um caminhar, nas pegadas de Cristo, rumo ao céu. Esse caminhar inclui viver justamente, realizar obras de justiça e misericórdia e ter pouco apego as coisas deste mundo, pois o caminhar pressupõe que há um rumo, e que tudo aqui é transitório. Se você está caminhando num caminho errado, é preciso voltar para o caminho certo. Se está parado, ande. Existe o caminho da religiosidade, da mentira, do engano, mas não se engane, estreito é o caminho de Deus, mas é o único que não te leva a perdição.

Sem resposts para “O Caminho da Paz”

Deixe um comentário!

Próximos eventos

ver todos os próximos eventos